Vacina de Oxford contra a covid-19 será testada no RN

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, nesta terça-feira (15), a ampliação dos estudos da vacina Oxford-Astrazeneca contra a covid-19 e o Rio Grande do Norte passou a ocupar a lista dos cinco estados brasileiros escolhidos para participar das testagens. Com a autorização, mais 5 mil voluntários participarão da fase 3 do estudo clínico da vacina de Oxford no Brasil, totalizando 10 mil voluntários na última etapa de testes do imunizante contra a covid-19 desenvolvido pela universidade em parceria com a farmacêutica AstraZeneca.

De acordo com a Anvisa, além dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, que já tinham sido anunciados anteriormente, o Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul completarão a lista. Também foi autorizada a ampliação da faixa etária dos participantes, com a inclusão de maiores de 69 anos de idade. 

A solicitação foi feita pelo laboratório Astrazeneca, responsável pelo desenvolvimento da vacina, juntamente com a Universidade de Oxford. Vale lembrar que a vacina de origem do Reino Unido prevê a transferência de tecnologia para Biomanguinhos, ou seja, uma vez registrada a vacina, ela poderá ser produzida no Brasil.  

Alterações em outras pesquisas 
Ainda segundo a Anvisa, solicitações para a ampliação do número de voluntários, entre outras alterações, são comuns em testes clínicos. O órgão autorizou na semana passada, por exemplo, mudança nos estudos conduzidos pela Pfizer-Wyeth. Nesse caso, foi solicitada a inclusão de novo local de fabricação para as vacinas que estão sendo utilizadas nos testes.  

As mudanças estão relacionadas ao objetivo da pesquisa, ou seja, elas visam garantir a produção de dados robustos sobre o desempenho de cada vacina, bem como conhecer os efeitos em diferentes grupos populacionais.